Caminhar reduz sintomas da Artrose

Última atualização: 16/08/2010

Caminhar reduz sintomas da Artrose

Estudo recente realizado por pesquisadores da Universidade de Queensland, na Austrália, constatou a eficácia da caminhada no tratamento de pacientes com artrose de joelho e quadril. Em apenas seis semanas, os participantes com idade entre 42 e 73 anos, já apresentaram aumento nas funções de mobilidade e alívio nas dores. O programa previu que eles, três dias por semana, andassem duas séries de 1.500 passos, contados por um pedômetro, aparelho que registra o total de passos e a distância percorrida. Informações sobre o estado de saúde foram anotadas em planilhas. O resultado da pesquisa, publicada pela revista “Arthritis Research & Therapy”, confirma que houve uma sensível melhora nas dores de quem sofre com a doença inflamatória. A ingestão do medicamento condroitina fez parte do tratamento, e acredita-se que há evidências preliminares de que seja benéfico para os pacientes com artrose.

A artrose é o endurecimento natural das articulações. Trata-se de uma doença reumática degenerativa, que chega a acometer 30% da população adulta acima dos 50 anos. Do grego, arthros significa articulação e ose, degeneração. Juntando as duas palavras, surge o significado da doença, que é a perda progressiva do movimento na junção entre um osso e outro. Artrose é a denominação popular para osteoartrite ou osteoartrose. Não confundir com artrite, que é uma doença inflamatória que pode afetar diversas articulações ao mesmo tempo, e recebe a denominação de poliartrite. A limitação do movimento deve-se ao fator mecânico: as superfícies articulares ficam desprotegidas, com a cartilagem comprometida e diminuição do líquido sinovial, tornam-se rugosas e atritam-se. Os sintomas produzidos pela artrose são dor de intensidade variável e dificuldade em movimentar a junta entre os ossos. Ao contrário do que pode parecer e apesar da dor diminuir quando se fica em repouso, é necessário se movimentar para evitar que a doença avance em grande escala.

Segundo a AAOS, sigla em inglês para Associação Americana dos Cirurgiões Ortopédicos, a artrose do joelho é uma das principais causas de incapacidade física. Cerca de 33 milhões de americanos são afetados por ela, que é mais comum em pessoas acima dos 65 anos. Além das dores, a perda da capacidade de locomoção é traumática. Recentemente, a AAOS divulgou uma diretriz de prática clínica para melhorar o cuidado para com os pacientes que sofrem de artrose no joelho. Há uma grande variedade de opções de tratamentos disponíveis e eles são administrados de acordo com as diferenças de cada paciente.

Tratamentos para a artrose – Os tratamentos para a artrose são realizados em diversas frentes, de apoios de marcha a exercícios físicos. Para muitos é indicada fisioterapia, com uso de calor ou frio, que tem a função de diminuir a rigidez. Por isso, após o corpo ficar parado durante a noite, convém um banho quente pela manhã. Fisioterapia e banho quente diminuem a dor e a rigidez da articulação, temporariamente. Hidroterapia, banhos de contrastes, termas, saunas e câmaras frias vão nesta linha também, a de oferecer uma melhora ao paciente, com a diminuição de sintomas. A fisioterapia com ondas de choque ou acústica já é um pouco diferente, pois estimula o metabolismo celular, podendo quebrar o círculo vicioso da doença por ativar a circulação sanguínea e promover a reparação do tecido. Apesar de não haver comprovação científica, em alguns casos o tratamento com ondas se apresenta como uma alternativa ao cirúrgico. Uma tendência mais moderna é a prescrição, pelo médico, de terapias complementares como a acupuntura. A atividade física tem revelado resultados duradouros no que se refere a diminuir os efeitos da artrose.

Musculação – A artrose leva à atrofia muscular. Os exercícios de musculação têm sido eficazes na reabilitação de pacientes, fazendo a dor diminuir e melhorar a amplitude do movimento articular. O aumento da força muscular amplia a funcionalidade, diminui o risco de quedas em idosos e devolve a independência, fator de extrema relevância para elevar a autoestima e manter a qualidade de vida.
A atividade ajuda a atingir uma hipertrofia muscular, desejável para que ligamentos dinâmicos das articulações possam recuperar os movimentos.

Caminhadas – O hábito de caminhar deve ser mantido, mesmo que a mobilidade já esteja um tanto comprometida. Associada a outros tratamentos, a caminhada tem sido comprovadamente eficaz no combate às dores e para a melhoria da flexibilidade. Quem tem artrose precisa tomar cuidado com o terreno, evitando ladeiras e pisos molhados para não escorregar ou cair. Deve começar o tratamento andando devagar e fazendo percursos bem curtos, de acordo com a própria condição de saúde, e ir aumentando a intensidade e o trajeto aos poucos. Convém vestir roupas e sapatos adequados. O tênis é o melhor calçado para caminhar e as roupas esportivas deixam o corpo mais à vontade para realizar todos os movimentos. Evite calças muito compridas ou com a boca larga demais para não tropeçar. Tente fazer alguns alongamentos antes, para esquentar, e depois, para relaxar. Os pesquisadores de Queensland chegaram à conclusão de que os pacientes com artrose que seguem a quantidade de exercícios recomendada por médicos melhoram seu estado. Com isto, não quero dizer que a pessoa precise sofrer mais do que aguenta, mas que faça o seu melhor e vá conversando com o médico.

Para evitar o agravamento da doença, precisa manter a regularidade no tratamento e colocá-lo em prática o quanto antes. Medicamentos como a condoitina – utilizada pelos pacientes da pesquisa realizada na Austrália – ou derivados da lanolina (óleos insaponicáveis, provenientes do caroço de abacate ou do grão de soja), ou a base de ácido hialurônico, um produto sintético com as mesmas propriedades de uma substância de nosso organismo que preenche espaços entre as células, também estão sendo utilizados com sucesso para estimular a recuperação dos tecidos conjuntivos. Não abandone o tratamento médico por chá, bracelete de cobre, banho de lama e outros que não têm comprovação científica. Nunca tome remédio sem que o médico tenha receitado.

Ao surgir qualquer sintoma, procure um médico. A identificação precoce da doença pode evitar deformidades. A artrose é a mais comum das doenças articulares e seu impacto econômico é grande por causa da incapacidade que provoca nos pacientes. Até 45 anos, a artrose é prevalecente no homem; após essa idade, torna-se dominante na mulher. O desgaste da cartilagem está relacionado ao envelhecimento, a problemas congênitos ou a traumatismos e sobrecarga nas articulações. Os tratamentos ajudam a pacientes a ter qualidade de vida. Consulte o médico: caminhada costuma ser recomendada em quase todos os casos de artrose.

Fonte: JorNow – Ribeirão Preto/SP

voltar topo
  • impressão
  • enviar por e-mail
Aviso Legal:

1. As informações contidas neste site tem caráter meramente educativo e não substituem as opiniões, condutas e discussões estabelecidas entre médico e paciente.

2. Todas as decisões relacionadas ao tratamento devem ser tomadas com respaldo do médico responsável pelo acompanhamento clínico do paciente, pois é ele quem mais conhece as particularidades de cada paciente, tendo, portanto, melhores condições de opinar e prescrever a conduta mais adequada.

3. Os patrocinadores não têm nenhuma responsabilidade ou influência sobre o conteúdo do portal.